Seu corpo chega aonde sua mente acredita!

Me chamo Naylla Vellaskez, tenho 24 anos e hoje sou bailarina.
Mais nem sempre foi assim, vou contar um pouco da minha história e de como consegui hoje, ser e trabalhar profissionalmente como bailarina..
Desde muito nova, sempre amei dançar, principalmente, nas festas de família.
Aos meus 6 pra 7 anos, comecei a perceber que eu não era igual aos outros garotos da escola, pois sempre me identifiquei com o feminino. Pra uma criança de 6 anos, isso não era normal, como eu ia entender? Meu nome era masculino, minhas vestimentas também, pra minha família eu era ELE, e pra mim eu era ELA!
Foi muito difícil pra mim, pois nao tinha conhecimento e muito menos apoio familiar, que por sinal somos 90% em mulher, aos poucos, fui me descobrindo mais, sentindo atração por homens, e entendendo que eu realmente era uma mulher.
Quando completei 9 anos, me inscrevi em uma academia de ballet (onde davam bolsas para MENINOS) e me encontrei completamente, eu sabia, nasci para dançar!
Certo dia na escola, ouve uma evento sobre arte, foi a minha primeira oportunidade de dançar, imagina, fiz a turma delirar, um garoto de 9 anos dançando Pussycat dolls com uma cadeira?
Desde então, a dança me trouxe expressão, acolhimento e liberdade.
Mais não me sentia completa, foi então que aos meus 15 anos tive um grande surto de identidade e tive depressão, larguei meus estudos, vivia trancada em casa.. era uma angústia gigante dentro de mim, até que minha mãe imediatamente me levou para fazer tratamento com uma psicóloga, e desde então, entendi, aceitei, e me realizei.
Com 15 anos de idade, peguei tudo que havia de masculino e doei para um brechó, e desde então comecei a minha transição, comecei a me hormonizar, e comecei a me sentir mais feliz, mais algumas portas se fecharam, perdi a bolsa de estudos de ballet, parei de estudar, e o que me restava? PROSTITUIÇÃO!
O quê eu podia fazer? 15 anos, sendo trans, no país que mais mata mulheres TRANSEXUAIS/TRAVESTIS no mundo?
Aos meus 17 anos, me rematriculei na escola, voltei a estudar e aos 19 anos consegui terminar o ensino médio, neste período, criei um laço de amizade grande com os donos de uma balada do litoral de sp (TRIBAL CLUB) onde comecei a minha trajetória como artista, comecei fazendo gogo dancer, fiz hostess, até que ganhei o concurso de drag show em 2017, desde então, meus trabalhos começaram a progredir, comecei a fazer trabalhos para eventos corporativos, festivais de músicas,diversas baladas, comercial, festas em geral..
existem diversos outros palcos, que pretendo estar dançando, tenho milhares de sonhos, e sempre acredito na realização de todos.
Seu corpo chega, onde sua mente acredita!
Hoje, atualmente eu tenho trabalhado com uma empresa maravilhosa de São Paulo, a FaceonFace, o diego cruz me acolheu de braços aberto, e tem me ajudado a conquistar diversos palcos.
É gratificante ter o apoio e consideração de pessoas que realmente querem seu bem.
A cada dia que se passa, eu me sinto mais realizada, de poder ter saúde, família , diversos amigos, e força de vontade. Por que o resto a gente conquista.
Atualmente com 24 anos de idade, tenho me destacado bastante na noite de são paulo, dançando em diversas casas noturnas, pretendo continuar estar levando a minha arte aos quatros cantos do mundo, viva a arte! Viva ao amor! Viva a vida!
Empreguem uma trans!!!!!!!! ❤️

Sobre a autora:

Naylla dos santos
24 anos
Bailarina (em formação)
Danço: ballet clássico, jazz dance, stiletto dance, jazz funk, contemporâneo, performances em geral.


1 comment

  • Talita

    Minha irmã de alma e coração! Sinto muito orgulho da mulher que você é! Eu amo você e esse é só o começo! Brilhaaaaaaaaa

Leave a comment

Please note, comments must be approved before they are published